Archive for abril \05\UTC 2017

h1

A alimentação viking era a mais rica da Idade Média na Europa

abril 5, 2017
400px-Hakarl_near_Bjarnahöfn_in_Iceland

Hákarl, uma típica comida islandesa herdeira de métodos vikings de preparo e conservação

Os vikings tinham fama de festeiros que gostavam de se empanturrar de comida e encher a cara de cerveja e hidromel, mas a dieta nórdica era mais rica do que muita gente pensa. Ele possuíam uma alimentação variada, rica em grãos, frutas, carne oriunda de animais criados para o abate, peixes, também de presas abatidas em caçadas e até baleias encalhadas e isso tudo era muito melhor do que outros povos contemporâneos na Europa dispunham.

Além dos registro documentais, pesquisadores encontraram vestígios sobre a nutrição viking em ossadas, antigos sistemas de esgotos e resíduos de lixo. Descobriram que eles também eram acometidos por vermes e intoxicação alimentar pelo consumo de itens inadequados ou contaminados.

Como a carne era muito presente nas refeições vikings, eles mantinham variados rebanhos animais com o propósito alimentar, sobretudo bovinos, caprinos, ovinos e também equinos, galinhas, patos e gansos para obtenção de carne e ovos era outra rica fonte nutricional também produzida nas fazendas vikings. Por meio da caça uma variedade também grande de animais forneciam fartura em carnes, sendo alces e javalis as presas mais estimadas (embora eles não dispensassem pequenas presas como coelhos ou esquilos). Na pescaria no Mar Báltico e no Oceano Atlântico eles obtinham bacalhau, cavala, arinca e várias outras espécies, mas também conseguiam múltiplas opções nos rios. Pratos mais especiais contavam com focas e toninhas (um parente próximo dos golfinhos). Os métodos de conservação de carnes eram feitos por meio de processos de desidratação, decapação (retirada de camadas superficiais das carnes ressecadas), fermentação e defumação ou simplesmente acondicionando o alimento no gelo do inverno.

O consumo de vegetais era intenso e eles dispunham de uma infinidade de opções de frutas, legumes e hortaliças, além dos grão inportantes para a produção de significativa parte da base alimentar, mas sobretudo para a produção da cerveja. Eles cultivavam em canteiros ou em roças nas fazendas e também praticavam coletas de vegetais no meio silvestre.

Na medida em que o vikings iram além da Escandinávia acabavam também se deparando com novas culturas agrícolas, condimentos, preparos e sabores.