Profissão Perigo: Desarmadores de bombas antes dos recursos tecnológicos

O desarme de bombas é uma atividade de altíssima periculosidade. Os riscos e danos são tão graves que hoje em dia a tecnologia é utilizada para executar esta tarefa, pois os robôs com dispositivos controlados a distância agora são empregados para o cumprimento dessas missões. Mas no passado as bombas eram desarmadas diretamente por destemidos operadores que não possuíam os mínimos recursos de segurança disponíveis. Militares e policiais se encarregavam de encarar os perigos nem sempre com sucesso. Aqui alguns registros desta atividade arriscada.

yhc6o0fojqtskawxx2ca
Operação para retirada de detonador de bomba alemã na Inglaterra em 1940
xs7n1cnhnndiexwkisei
Uma bomba japonesa que conseguiu penetrar no chão sem explodir sendo retirada por militares ingleses na Nova Guiné em 1942
qmkhuuyy3vjr1hst2zxz
Soldado britânico avalia uma bomba alemã que falhou utilizando nada menos que uma picareta (1940)

qhsogjiq2s3zahipviru
Ainda em 1959 restavam bombas alemãs atiradas sobre Londres durante a Segunda Guerra Mundial. Na imagem peritos desenterram uma bomba às margens do Rio Tâmisa.
lo5elhq7gbhh1a1abava
Traje de membro de força anti-terrorista norte-americana em 1960 averiguando uma denúncia de artefato suspeito
kon6m4xoapa6xci9n0dj
Segurança Zero: Soldado analisa bomba japonesa na Nova Guiné em setembro de 1942
gecgvdyvw8ind4bp5knz
Ouvidos atentos: Peritos examinam uma bomba que falhou em Argel (1940)
do2mvkmj2pcuo2ugxmfk
Traje especial anti-impacto em 1933
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s