h1

O guia francês de 1830 que apontava “as consequências fatais da masturbação”

janeiro 5, 2017

O deputado federal Marcelo Aguiar (DEM-SP) apresenta o Projeto de Lei 6.449/2016 com o propósito alegado de proteger os brasileiros dos efeitos maléficos da masturbação, do comportamento por ele chamado de “autossexual”, mas a preocupação do parlamentar brasileiro não é nenhuma novidade – embora que, no fundo, a proposta do deputado resulte em um processo de censura ao conteúdo acessado pelo usuário da internet, pois prevê “obrigar as operadoras a criarem um mecanismo que filtra, interrompendo automaticamente na internet todos os conteúdos de sexo virtual, prostituição, sites pornográficos”.

Médicos no passado achavam que a masturbação era não apenas um distúrbio moral, mas também uma moléstia do corpo e da mente. Em 1716, na Inglaterra, o doutor Balthazar Bekker publicou um panfleto condenando a masturbação, qualificada como pecado hediondo e concluiu que sua prática poderia provocar uma longa lista de problemas: perturbações estomacais, má digestão, redução do apetite ou uma fome incessante, vômitos, debilidade respiratória, tosse, rouquidão, anemia, dor nas costas, fadiga crônica, perda de memória, a taques nervosos, amnésia, loucura, epilepsia e, enfim, levar ao suicídio. Ufa!

O alarmado dr. Bekker não estava sozinho em matéria de preocupação sobre o problema. Num dicionário médico de 1745, o doutor Robert James indicava que o onanismo era gravíssimo, responsável por distúrbios incuráveis. Também do século 18, o notável médico suíço Samuel-Auguste Tissot, que era aclamado por iluministas como Voltaire, virou especialista na matéria, escrevendo uma importante obra a respeito – o livro L’Onanisme, publicado pela primeira vez em 1760. Tissot argumentava que o desperdício de sêmen por consequência da masturbação causava uma enorme lista de males, a exemplo do que concluiu o dr. James.

Estes médicos eram respeitáveis e ilustres profissionais nos idos dos tempos iluministas e amparavam suas teses em argumentos repletos de referências nos postulados científicos de então.

Posteriormente, em 1830, na França, foi publicada a obra Le livre sans titre (“O Livro sem título”), um compêndio ilustrado que condenava a prática “autossexual”, reforçando as teses dos doutores Bekker, James e Tissot. A obra tinha uma pretensão didática e visava conscientizar – e aterrorizar – os jovens masturbadores, trazendo a triste e trágica história de um rapaz que se masturbava com frequência.

Vamos a ela:

001livsanst_465_567_int

“Ele era jovem e bonito… a esperança de sua mãe”

002livsanst_465_599_int

“Ele se corrompeu! E seu crime o fez envelhecer antes do tempo. Suas costas se curvaram”

003alivsanst_465_597_int

“Um fogo devorador queima suas entranhas e ele sente dores horríveis no estômago”

005alivsanst_465_592_int

“Ele não pode mais andar… suas pernas cederam”

005livsanst_465_563_int

“Seu peito está queimando… ele tosse com sangue”

007livsanst_465_610_int

“Ele tem fome e quer comer, mas nenhum alimento fica em seu estômago”

003livsanst_465_597_int

“Veja seus olhos tão puros, tão brilhantes: O brilho desapareceu! Uma faixa de sangue envolve seus olhos”

004livsanst_465_598_int

“Sonhos terríveis perturbam seu sono e ele não consegue dormir”

007alivsanst_465_598_int

“Seus dentes apodrecem e caem”

 

006livsanst_465_609_int

“Seus cabelos, antes tão bonitos caem como os de um velho e tão cedo já está ficando careca”

008lovsanst_465_577_int

“Seu peito está dobrando… ele vomita sangue”

009livsanst_465_593_int

“Todo seu corpo está coberto por pústulas… é uma visão horrível!”

010livsanst_465_613_int

“Uma lenta febre o consome, ele emagrece, seu corpo queima”

011livsanst_465_596_int

“Seu corpo enrijece, seus membros pararam de se mexer” 

012livsanst_465_615_int

“Ele delira, paralisa diante da morte que se aproxima”

013livsanst_465_589_int

“Aos 17 anos ele morre, com tormentos horríveis”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s