O cachorro que foi condenado a prisão perpétua por ter matado um gato

Pep em foto com placa identificadora típica de detentos
Pep em foto com placa identificadora típica de detentos

Este marginal se chamava Pep, um cachorro que foi condenado a prisão perpétua a a partir de 12 de agosto de 1924 por Gifford Pinchot, então governador do estado norte-americano da Pensilvânia. Pep sofreu esta folclórica condenação porque matou o gato de estimação da esposa do governador, mas sua vida de presidiário deve ter sido melhor do que sua experiência na residência do político, pois na Eastern State Penitentiary foi bastante animada, pois lá o animal foi bem recebido e mimado pelos detentos, sendo o mascote da cadeia. Pep passou animados 10 anos na cadeia até sua morte, em 1934.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s