Os neandertais eram tão inteligentes quanto os Homo sapiens

Neanderthal and human skulls
Crânio de um neandertal e de um Homo sapiens

O Homem de Neandertal não era exatamente o troglodita que se imaginava. Ele era tão inteligente quanto os homens modernos e esta é a conclusão foi confirmada por mais um estudo (de pesquisadores da Universidade de Leiden, Holanda) sobre esta espécie humana primitiva – e não é a primeira investigação a concluir isso.

Os neandertais surgiram aproximadamente entre 350.000 a 400.000 anos atrás e foram extintos por volta de 30.000 passados, tendo se espalhado por várias partes da Europa e Ásia. As razões para o desaparecimento da espécie são controvertidas e por muito tempo cogitava-se que a extinção dos neandertais ocorreu em função da desvantagem cognitiva que sofriam em relação aos seus parentes “mais evoluídos”, os Homo sapiens.

Já os pesquisadores C. Michael Barton (Universidade do Arizona State) e Julien Riel-Salvatore (Universidade do Colorado) concluíram que as aproximações entre os neandertais e nossa espécie eram mais intensas do que muitos imaginavam. Os cientistas desenvolveram estudos que indicaram que traços genéticos entre as duas espécies são compartilhados porque os cruzamentos entre elas eram comuns. Eles sugerem que os neandertais foram sendo extintos por terem chegado a ponto no qual a sua população passou a ser significativamente inferior. Os estudiosos acreditam que o processo de miscigenação pode ter sido o destino de nossos primos ancestrais, que teriam minguado através de um processo no qual sua presença foi sendo diluída pela mistura com indivíduos de uma espécie que se tornou numericamente muito superior, enfim, eles não aceitam uma ideia que durante muito tempo se propaga que trata da extinção como um processo no qual os neandertais quase que simplesmente desapareceram.

E eles não encerram aí suas conclusões: Avaliando resquícios materiais deixados pelos neandertais, os especialistas também não acham que eles fossem “inferiores” ou menos hábeis e capazes que nossa espécie.

Wil Roebroeks (da Universidade de Leiden) e Paola Villa (Universidade do Colorado) concordam com outras possibilidades a respeito do que se imaginava sobre os neandertais e sua suposta inferioridade. Eles defendem a tese de que as pesquisas mais antigas e até mais conhecidas acabaram induzindo a um importante erro de avaliação porque os pesquisadores costumavam comparar restos de espécimes de neandertais com esqueletos de Homo sapiens do paleolítico superior, quando, na verdade, deveriam realizar as comparações com homens modernos contemporâneos dos neandertais. Segundo Paola Villa “isso é como dizer que as pessoas no século 21 são mais inteligentes do que as do 19 porque estas últimas não tinham laptops nem realizavam viagens espaciais” e conclui afirmando: “O que estamos dizendo é que a visão convencional de neandertais não é verdade”.

As pesquisas mais recentes também recorrem a novos métodos e exploram as potencialidades dos estudos genéticos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s