A criação (e destruição) do Dia das Mães

Anna Jarvis, que criou e lutou para acabar com o sentido que foi dado ao Dia das Mães
Anna Jarvis, que criou e lutou para acabar com o sentido que foi dado ao Dia das Mães

O dia das Mães surgiu como uma homenagem às mulheres que perderam seus filhos e maridos durante a Guerra Civil Americana (1861-1865). Pode-se dizer que tudo começou a partir da atuação de Ann Reeves Jarvis, que realizava diversos eventos reunindo a atuação feminina em prol de causas solidárias, associando mães e mulheres de combatentes nortistas na guerra.

Sua morte, em 1905, não encerrou o ativismo dos grupos e sociedades beneficentes que ela estimulou ou fundou diretamente. Anna Jarvis, sua filha, não teve filhos e ainda assim continuou o trabalho da mãe ativista, instituindo o primeiro Dia das Mães em 1908, quando em 10 de maio famílias se reuniram numa igreja em Graffon, cidade natal de Jarvis, e também em Filadélfia. Nos anos seguintes a celebração foi sendo amplamente difundia até que o presidente Woodrow Wilson definiu, em 1914, que oficialmente o segundo domingo de maio haveria de ser feriado para celebração do Dia das Mães.

A proposta inicial do Dia das Mães era a promoção de celebrações íntimas e familiares, contudo virou uma oportunidade lucrativa que desagradou sua idealizadora, que tentou promover boicotes e até ações judiciais para impedir a exploração econômica que imediatamente tomou conta da data. Anna Jarvis insistiu em reformular o sentido que foi dado à data até o início da década de 1940, consumindo seus recursos e saúde.

Anna Jarvis morreu aos 84 anos de idade, em 1948. Na ocasião ela vivia recolhida num asilo em estado de demência. A fundadora do Dia das Mães morreu pobre e sua criação virou um lucrativo evento comercial.

Anúncios

3 comments

  1. Na verdade eu me dedico bem pouco aos planejamentos e por isso mesmo quase não os tenho. Eu sequer gosto de me basear no trabalho com livro didático, pois eles me limitam bastante. Formalmente sigo o roteiro básico para cada série e dento dele eu procuro buscar um tema ou outro para abordar como forma de diferenciar ou variar mais o trabalho.

  2. Olha,achei muito interessante o papel dessa mulher em plena Guerra civil ainda encontrou tempo para se preocupar com os outros,pena que perdeu o sentido que ela esperava virando fins lucrativos e acabou perdendo o verdadeiro significado.

  3. Olá Professor Paulo Alexandre. Estava a ler alguns artigos do seu blog e achei alguns artigos bastante interessantes. Porém, vi uma matéria, do Sinpro Goiás, que falava sobre o senhor dar algumas aulas de modo dinâmico sobre a História de Goiás. E pra falar a verdade, eu estou precisando muito desse conteúdo para trabalhar em sala de aula. Esse ano estou com História do Estado de goiás para os três anos do ensino médio e não há planejamento pronto no Siap. Por isso estou pedindo: – se puder, me mande por favor, alguns conteúdos e algumas idéias de planejamento,eu ficarei muito grato,pois a escola tem me pressionado sobre isso e eu sou contrato e preciso desse emprego. sem mais delongas. Professor Alexandre Henrique.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s